15 de novembro de 2009

This is it


Assisti ao filme “This is it” de Michael Jackson, na verdade não é um filme ou documentário como chamam, são os bastidores ou o making of do que viria a ser o show que o astro pop iria apresentar na sua volta aos palcos, e, vale dizer, seria realmente um GRANDE show, com altas produções...

Michael era extremamente perfeccionista, preocupava-se com os mínimos detalhes do show, participava ativamente da produção, na escolha dos dançarinos, como deveria estar o palco, as luzes, som, cada batida musical deveria estar em conformidade com a dança que executava, seus dançarinos deveriam ser a extensão dos seus movimentos... E principalmente conhecia a sua música como ninguém, como bem afirma nos ensaios: “quero que toque a música como eu escrevi”. Ele na verdade, produzia, coordenava e executava.

Certamente não estava aqui nesse mundo para ser "modelo" ou herói. Michael tinha defeitos sim, como todo mortal, por vezes era excêntrico, polêmico... mas e daí?!! Quem somos nós para julgá-lo? a justiça do seu país o fez, pois o mesmo foi ao banco dos réus. Agora, não importa se ele era branco ou preto! Se os filhos eram ou não seus... As pessoas gostam de apontar os erros dos outros, e esquecem dos seus. é sempre dever dos outros dar exemplo.

Quando terminou o filme, fiquei na poltrona do cinema, ouvindo a última música tocar, enquanto vejo as letras passarem ao longo da tela, (hábito antigo) percebo que na maioria das letras estava: written and performed by Michael Jackson, era ele quem criava letra e coreografia, e escreveu belas canções.

O superstar sai de cena, e nos deixa saudades sim! Não há como não sentir compaixão. Era uma figura ímpar, um gênio na sua arte, um talento sem igual...

Aos seus críticos de plantão, fica a frase que Michael usou nas gravações, sempre que alguém o elogiava: “Deus te abençoe”.

Sem idolatrias, copiemos pois, o que é bom!

Ively Almeida


Um comentário:

Ana Luiza disse...

Amei, Ively!!!